Arquivo da tag: crianças

Cartão de Natal – Árvore de Natal

Eu sou uma pessoa à moda antiga, que adora receber do carteiro cartas e cartões, muito mais do que um e-mail ou mensagem de Whatsapp.

E por ter tanto carinho por essa forma de comunicação, todo ano procuramos enviar aos amigos mais próximos cartões desejando boas festas, agradecendo pela amizade e cumplicidade ao longo do ano que se passou…

Com o crescimento das crianças vi que poderia envolvê-las ainda mais nesse momento ao chamá-las para participarem da confecção dos cartões, já que a minha pequena não pode contribuir escrevendo neles, como já o faz o mais velho.

Eles adoram participar, pois sabem que trata-se de algo especial e com muito amor envolvido, e por isso ajudaram com muito empenho nos cartões de dedões e nos de mais cartões de Natal que confeccionamos em 2015.

Esse ano não foi diferente! Do jeitinho deles, tive muita ajuda na hora de fazer as bolas dessa árvore que foi o destaque dos nossos cartões de Natal de 2016.

O resultado eu compartilho aqui com vocês, na esperança de estimulá-los também  se dedicarem um pouquinho a escrever cartões de agradecimento àqueles que fizeram a diferença em suas vidas nesse ano que está por se findar.

Material necessário:

Cartolina branca

Cartolina laminada verde

Cartolina laminada amarela

Cartolina laminada vermelha

Cola (preferencialmente de E.V.A, pois não enruga o papel)

Furador de papel

Régua

Lápis

Folha de rascunho

Como fazer:

Em uma cartolina, meça um retângulo. As medidas que usei no meu foram 24cm de largura por 16cm de altura.

Faça marcas ao longo do mesmo. Com um lápis, meça 6 cm em direção ao centro, a partir de cada borda.

Após recortá-lo, dobre as laterais na marca dos 6cm, de forma que as mesmas se encontram no centro, formando, portanto, dobras de 6 cm sobre uma área (base) de 12 cm. Reserve.

Na folha de rascunho desenhe uma árvore de Natal com, no máximo, 16cm de altura e 12cm de largura. Para que esse desenho fique simétrico, sugiro fazer o desenho de apenas um dos lados. Dobre a folha e recorte deu molde. Desas forma, quando você o abrir terá uma árvore simétrica.

m_img_8919

m_img_8920

Desenhe-a sobre o verso (lado branco) da cartolina metálica verde. Lembre-se de fazer a marca do centro da árvore. Recorte-a e, após, corte-a na marca central, dividindo-a em duas partes idênticas.

m_img_8922

Cada uma dessas partes da árvore será colada, cuidadosamente, sobre a dobra branca que fica no topo do cartão (sua “face”), de forma que ao fechá-lo, a árvore se torne uma novamente. Reserve.

m_img_8927

Com o auxílio de um furador de papel faça várias “bolinhas” na cartolina laminada vermelha, e cole-as sobre a árvore de Natal. Essa, com certeza, é uma das partes favoritas dos pequenos! Então não se esqueça de pedir ajuda a eles!

Enquanto espera a cola secar, faça um molde de uma estrela (no formato que desejar) na folha de rascunho. Recorte-a e transfira esse desenho para o verso da cartolina laminada amarela.

A estrela não precisará ser dividida em duas. É opcional nesse caso. Mas lembre-se de que ela deverá ser colada em apenas um dos lados do cartão.

O cartão fechado formará uma única e completa arvore de Natal, que quando aberto a dividirá ao meio, para dar vez às palavras de afeto, carinho e gratidão que você e sua família poderão escrever em seu interior.

m_img_8944

m_img_8943

Espero que tenham gostado! Lembre-se de compartilhar conosco as suas fotos, que irão para nosso Facebook e Instagram!

Beijinhos e até a próxima!

Michelle

OBS: As cartolinas laminadas podem ser substituídas por E.V.A. com glitter/brilho. O custo é bem maior, mas o efeito é lindo! Apenas não se esqueça que, se for enviar os cartões pelos Correios, como é o nosso caso, quanto menos volume tiver melhor, pois assim o risco de estragar o cartão é menor!

Explorando o ecossistema

Em tempos de tecnologia e correria, parar para observar o que está ao nosso arredor torna-se cada vez mais raro.

O que antigamente era de conhecimento comum ate mesmo para as crianças, que costumavam andar descalças na rua, brincando até tarde na rua, sujando-se de forma saudável ao subir em árvores e cavar buracos na terra, hoje pode ser algo um tanto quanto desconhecido para os nossos pequenos. Ou, quando conhecidos, apenas por meio de telas de tablets e computadores.

Levar as crianças para explorarem o mundo lá fora pode ser algo simples e muito divertido! Fonte de conhecimento, a fauna e a flora que se encontra no quintal de casa ou do prédio já são suficientes para despertar a curiosidade e ensinar mais sobre o mundo em que vivemos. Isso sem falar que o contato com a natureza pode desmistificar alguns medos infundados das crianças.

Como brincar:

 Com o auxílio de uma lupa, um caderno e um lápis ou caneta, convide as crianças para fazer uma investigação no jardim.

Procurem por formigas, lagartas, besouros e outros pequenos seres e conversem sobre o que eles são e o que fazem. Faça perguntas, como:

(i) que bichinho é esse?

(ii) qual a sua cor?

(iii) quantas patas ele tem?

(iv) o que você acha que ele está fazendo?

(v) do que ele se alimenta?

(vi) onde ele mora?

(vii) como é a sua casa?

m_img_8747

Você também pode pesquisar explorar as árvores, flores, arbustos e demais plantas que se encontram ao redor do local de pesquisa de vocês e fazer anotações sobre cada uma delas. Pergunte, por exemplo:

(i) qual a cor dessa planta?

(ii) é uma árvore frutífera?

(iii) como é o seu caule, liso ou cheio de textura?

(iv) qual o tamanho dessa árvore (compare com outros objetos familiares, e não com metros, como o tamanho dele mesmo, do papai, de um carro, etc.)

(v) a gente pode comer essa planta?

Deixe que as crianças toquem nesses seres vivos (quando for seguro) para que elas sintam sua textura.

m_img_7322

Peça para os maiores escreverem no papel aquilo que observaram, enquanto que os pequenos podem simplesmente desenhá-los.

m_img_8752

Após fazerem um levantamento das informações de cada ser vivo selecionado, convide as crianças a pesquisarem, com a sua ajuda, na Internet, quais as espécies que vocês viram. Aproveitem esse momento em família para conhecer mais sobre a natureza e incentivar, com isso, um maior cuidado com o nosso planeta.

Curitiba com crianças

Meu marido precisou ir a Curitiba a trabalho por algumas semanas, e como as crianças estavam de férias, decidimos ir todos juntos! Assim, a paranaense que vos escreve e que até então vergonhosamente não conhecia a capital do seu próprio Estado (minha “desculpa” era que eu tinha mudado do PR ainda criança) poderia aproveitar essa oportunidade com a família.

Quando se fala em turismo em Curitiba logo vem à cabeça das pessoas a imagem do Jardim Botânico e, é claro, esse foi um dos nossos destinos. Mas descobrimos que essa cidade reserva muito mais do que podíamos imaginar, e que existem diversos passeios culturais gratuitos para se fazer com os pequenos.

Infelizmente não conseguimos conhecer tudo o que gostaríamos, mas esse certamente será mais um pretexto para voltarmos e escrevermos um novo artigo (complementar) acerca dessa cidade de ruas malucas, pessoas acolhedoras e linda paisagem.

1. Jardim Botânico  (R. Engo. Ostoja Roguski – Jardim Botânico – aberto de domingo a domingo)

O Jardim Botânico de Curitiba, que conta com entrada e estacionamento gratuitos, faz jus à sua fama!

m_img_7269

Com lindos corredores de flores, as crianças puderam brincar à vontade em meio a um mar de cores. Espaço para correr é o que não falta! E nem mesmo para fazer piquenique (vale a pena levar o lanchinho das crianças – a lanchonete fica na entrada)! Havia, inclusive, muita gente aproveitando para descansar do almoço num extenso gramado, com árvores frondosas, ao longo dos caminhos que percorríamos.

m_m_img_7327

m_img_7358

Isso sem contar o delicioso espaço ao redor do lago, seja em pontes, morrinhos sob as árvores ou qualquer outro canto, do qual pudemos observar as tartarugas, os peixes e até mesmo as garças que ali se encontravam.

m_m_img_7351

O “Palácio de Cristal” foi inspirado no verdadeiro Palácio de Cristal de Londres. É encantador, mas confesso que o achei menor do que imaginava. Ainda assim, vale a pena conferir. É uma estufa que abriga diversas espécies Floresta Atlântica, dentre as quais você poderá caminhar, seja por baixo ou por cima, já que há um segundo andar aberto dentro do Palácio.

m_img_7289

Ainda tivemos o prazer de ser contemplados com lindas canções entoadas por um coral formado por um grupo cristão de jovens bolivianos que estavam ali no local, enquanto observávamos cada detalhe desse lindo “jardim de inverno”.

m_img_7293

Algo que eu até então desconhecia, pois não tinha ouvido falar, e foi um local de grande entusiasmo das crianças no Jardim Botânico foi o Jardim das Sensações. Ali percorremos um caminho no qual líamos para as crianças informações sobre cada uma das plantinhas, nas quais elas podiam tocar e cheirar cada uma dessas plantinhas. A ideia é que os pequenos usem o tato, a visão e o olfato nesse espaço para poder aprender mais sobre a flora.

m_img_7322

2. Zoológico (Rua João Miqueletto, s/n – Alto Boqueirão – aberto de terça a domingo)

Em se tratando de zoológico, é sempre uma grande diversão para crianças, da faixa etária que for. Por isso resolvemos levar nossos pequenos para conferir o jardim zoológico em Curitiba, que tem entrada e estacionamento gratuitos.

m_img_7604

Este zoológico conta com mais de 2 mil espécies, e está entre os 5 zoológicos mais conceituados do Brasil.

m_img_7597

O espaço é enorme, e conta com subidas e descidas ao longo do passeio, o que cansou um pouco as crianças mas nem por isso as desanimou, já que elas adoraram passear “entre” tantos macacos, pássaros, felinos, répteis dentre muitos outros animais. A quantidade e variedade de animais é grande, e uma ótima fonte de aprendizado descontraído sobre geografia e fauna para os pequenos.

m_img_7599

Aconselho levarem água e algo para os pequenos comerem, pois não há lanchonete no interior do zoológico.

3. Bosque Alemão (Rua Francisco Schaffer, s/n – Vista Alegre – aberto de domingo a domingo)

Se eu precisasse dizer o que achei desse local de forma resumida, diria que ele é simplesmente encantador!

Construído no início do século XIX em homenagem aos imigrantes alemães, nos deparamos com o Oratório de Bach, uma réplica de uma igreja Presbiteriana de estilo neogótico usado como sala de concertos.

m_img_7367Após descermos uma escadaria, contemplando uma vista maravilhosa da cidade e de toda a mata, encontramos uma trilha gostosa de se percorrer, pois ao longo da mesma conhecemos (ou relembramos) mais sobre o conto infantil de “João e Maria”, dos irmãos Grimm, contado em painéis ao longo do trajeto.

m_img_7397

m_img_7396

A grande surpresa, para as crianças, encontra-se no “coração” da floresta, onde há uma pequena casa que é uma biblioteca! As crianças podem ler a vontade os livros que ali se encontram e em horários pré definidos uma bruxinha aparece para ensinar a criançada uma canção e contar de forma entusiasmada e envolvedora uma estória. Nem mesmo as crianças mais medrosas resistem à simpatia dessa bruxinha.

m_img_7370

m_img_7376

Na “casa da bruxinha” tem também um caldeirão, no qual ela incentiva os pequenos a depositarem suas chupetas e, assim, largar de vez o seu uso.

m_img_7372

A trilha continua, e ao final da mesma podemos vislumbrar um lindo e antigo pórtico que representa um exemplar da arquitetura imigratória alemã envolvido por um jardim florido.

m_img_7399

m_img_7401

É um passeio que vale muito a pena! Certamente um dos melhores para se fazer com crianças em Curitiba!

Vale a pena informar que o bosque conta com um pequeno café na entrada (para quem inicia pelo topo), no qual algumas especialidades alemãs podem ser degustadas (a gente amou os biscoitinhos decorados, não apenas pela beleza, mas principalmente pelo sabor típico da culinária alemã).

É bom levar protetor solar, bonés, água e lanche para as crianças aproveitarem melhor o caminho. Banheiros apenas na entrada ou na casa/biblioteca.

Não há estacionamento próprio, mas você pode parar tranquilamente nas ruas ao redor do bosque. A entrada é gratuita.

4. Parque São Lourenço (R. Mateus Leme, s/n – São Lourenço – aberto de domingo a domingo)

Com um parquinho simples que consegue atrair a criançada logo na entrada, este parque conta com um pequeno estacionamento em seu interior e é gratuito.

m_img_7436

Há ali uma pequena e charmosa biblioteca, com “puffs” coloridos para as crianças se espalharem confortavelmente enquanto leem.

m_img_7445

m_img_7446

Para aqueles que curtem caminhar, correr, andar de bicicleta e até mesmo de carrinho de rolimã (isso mesmo!!), o espaço ao redor do lago é lindo e convidativo!

m_img_7443

Existe, também, uma construção que abrigava uma antiga fábrica de cola e curtume, mas que ficou destruída com uma enchente. Após restaurado, e mantendo ainda algumas de suas características originais, o edifício passou a ter a função de centro cultural, e disponibiliza diversos cursos e workshops (gratuitos ou com preços acessíveis) para as mais diversas idades e sobre os mais variados temas! As obras de arte dos alunos também ficam expostas no local.

m_img_7454

m_img_7453

m_img_7449

m_img_7455

m_img_7448

Outro edifício ali constante é o Atelier de Escultura, disponibilizado pelo governo para artistas locais, que podem ir até ali para trabalhar em esculturas de argilas, de itens recicláveis, e muito mais, já que nem todos têm o espaço necessário para realizar o seu trabalho adequadamente. É um ponto de encontro dessa gente talentosa, que recentemente ganhou, inclusive, um forno para assar as peças de argila e cerâmica ali mesmo.

m_img_7437

5. Ópera de Arame ( R. João Gava, 874 – Abranches – aberta de terça a domingo)

Confesso que inicialmente a Ópera de Arame não era um dos locais anotados em minha lista para visitação, mas fico muito feliz que eu e as crianças tenhamos ido até lá!

m_img_7459

Localizada na Pedreira Paulo Leminski, a Ópera situa-se num local deslumbrante, com árvores, paredões de pedras, um lago e até cachoeira. Essa vista pode ser contemplada logo na entrada, ao percorrer a ponte que nos leva à Ópera. As crianças acharam tudo lindo e adoraram poder ver a água por dentre os ferros aramados debaixo de nossos pés.

m_img_7466

m_img_7464

A Ópera de Arame é um teatro que foi construído em 1992 (reformado em 2006), com tubos de aço, estrutura metálica e coberto com placas de policarbonato (transparentes), fazendo que que a arte apresentada lá dentro se integre ao verde vivo de fora.

m_img_7471

A vista por si só já é linda e vale a pena, mas se você puder, não perca a oportunidade de assistir a um espetáculo ali!

Nos arredores há local para estacionar, restaurantes e lojas de souvenir. A entrada para visitação é gratuita.

6. Museu Oscar Niemeyer (R. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico – aberto de terça a domingo)

O Museu Oscar Niemeyer também é conhecido como “Museu do Olho” devido a uma obra que se encontra à sua entrada, que durante o ano divide a atenção dos visitantes com obras de artes expostas na parte externa do museu, elaboradas por estudantes, artistas locais, dentre outros.

m_img_7415 m_img_7426

m_img_7429

A parte de fora do Museu ainda conta com um Café e uma loja com itens referentes ao museu e a diversos artistas.

A entrada, acessível quando seu pagamento se faz necessário, varia de acordo com idade, dia da semana e alguns outros fatores:

  • R$ 12,00 a inteira; R$ 6,00 a meia entrada (essa é válida para professores e estudantes com identificação, pessoas com necessidades especiais e até mesmo doadores de sangue); e gratuita (desde que apresentada a identificação) para menores de 12 anos, maiores de 60 anos, grupos pré-agendados de estudantes de escolas públicas do ensino médio e fundamental, guias turísticos acompanhados de grupos, jornalistas, taxistas credenciados à URBS, membros da Associação Profissional dos Artistas Plásticos do Paraná (APAP) e membros do International Council of Museums (ICOM);
  • às quartas a entrada é gratuita e a programação é diferenciada;
  • na primeira quinta do mês o museu conta com um horário estendido (até as 20h), sendo que após as 18h a entrada é gratuita, sendo que os ingressos são distribuídos apenas até as 19:30h;

Aos domingos sempre tem alguma atividade especial programada no local, inclusive oficinas.

Além do acervo fixo, de artistas internacionalmente reconhecidos, o MON conta com exposições importantes e famosas ao longo do ano, capazes de capturar a atenção de adultos e pequenos.

Levar as crianças ao museu é uma experiência muito boa, gostosa e importante, pois faz com que a criança aprenda que a arte pode ser feita de diversas formas, com distintos materiais, e nem sempre os desenhos precisam ser feitos em um padrão específico. Cada um se expressa de uma forma. O hábito de visitar museus e exposições culturais desde cedo desperta um novo olhar para o ser humano e contribui com a sua riqueza de aprendizado e conhecimento para o resto de sua vida.

7. Bosque do Papa / Memorial Polonês (R. Wellington Oliveira Vianna, s/n° – Centro Cívico – aberto às segundas-feiras das 13:30h às 18h e de terça à domingo, das 9h às 18h)

O Bosque do Papa fica a poucos metros do Museu Oscar Niemeyer. Possui banheiros, uma loja de souvenir e apesar de não possuir estacionamento no local, é possível deixar o carro em estacionamentos nos arredores ou até mesmo na rua.

m_img_7422

Visitar esse lugar é uma experiência de descoberta e aprendizado para as crianças e para a gente também, que se sente em um outro país ou até mesmo num conto, já que o local, originalmente nomeado Memorial Polonês e rodeados por árvores que quase que o isolam do restante da cidade, contempla casas construídas com troncos, típicas na Polônia, e que foram erguidas pelos imigrantes quando de sua chegada ao Brasil.

m_img_7420

m_img_7424

No interior dessas casas podemos observar móveis e objetos pessoais de imigrantes poloneses, mostrando a forma com que eles viviam, bem como uma capela e alguns objetos de trabalho, como uma carroça e uma pipa de azedar repolho.

O Memorial também é conhecido como Bosque do Papa pois quando o Papa João Paulo II (polonês) veio ao Brasil em 1980, ele esteve naquele lugar e celebrou ali uma missa.

m_img_7423

Ao longo do ano são realizados alguns eventos em memória da cultura polonesa no local.

8. Memorial Ucraniano (R. Dr. Mbá de Ferrante, s/n – Parque Tingui – aberto de terça à domingo das 10h às 18h)

Situado no Parque Tingui – um excelente local para passear, brincar e pedalar e até mesmo preparar um churrasco com as crianças às margens de um lago – o Memorial Ucraniano, assim como o Memorial Polonês, nos ensina mais sobre uma cultura bem distinta da nossa.

m_img_7480

m_img_7482

Existem algumas belíssimas construções em madeira no local, inclusive a réplica da Igreja de São Miguel na Serra do Tigre, em Mallet, com uma cúpula de bronze!

m_img_7561

m_img_7487

m_img_7495

No interior dessas “casas” encontramos objetos típicos da Ucrânia, dentre os quais as famosas pêssankas, que são aqueles ovos delicadamente pintados à mão, e que tem uma versão bem maior e imponente, porém delicada em sua composição, no lado externo do Memorial. As crianças ficaram doidas com esse “ovo tão grande”! rs

m_img_7488

m_img_7489

Os jardins floridos no local também são uma atração a parte, que conseguiram prender não apenas o nosso olhar, mas também dos pequenos, que se divertiram aos montes soprando os “dente-de-leão” que encontravam pelo caminho.

m_img_7501

m_img_7481

Ocasionalmente são realizados eventos culturais no local.

Bonés e protetores solares são bem vindos! Bebidas e guloseimas podem ser adquiridas na loja de souvenir local.

7. Pizzaria Boca de Forno (Rua Euclides da Cunha, 1683 – Champagnat – aberta de domingo a domingo das 18h às 23:30h)

O foco dessa nossa viagem foi, definitivamente, aquilo que agradaria mais às crianças, e por essa razão não podíamos deixar de incluir, em nossa lista de “lugar a conhecer” a Pizzaria Boca de Forno, já que lá as crianças podem ser “pizzaiolas” por uma noite!

Com um ambiente reservado para os pequenos, com tudo ao alcance de suas mãos de forma segura, o restaurante permite que as crianças abram as massas de pizza (sob a supervisão de monitores) e montem as pizzas de acordo com seu gosto. Após assadas, elas comem juntas em uma salinha ao lado da mini cozinha a pizza preparada por elas mesmas juntamente com uma bebida.

pizzaria-mirim-1

pizzaria-mirim-2

Ao final, como não poderia deixar de ser, uma pizza de chocolate é servida de sobremesa!

Quanto aos papais e mamães, devo informar que a pizza servida no local para os adultos também é saborosa, feita no fogão à lenha, e o atendimento foi muito bom!

Eles têm estacionamento no local e o preço varia de acordo com o sabor da pizza, tamanho… mas nada fora do preço convencional do mercado.

8. Bistrozinho (Alameda Pres. Taunay, 543 – Batel – aberto de quarta a domingo)

O Bistrozinho infantil foi outro lugar que me encantou muito!

Trata-se de um restaurante totalmente voltado para as crianças. um charme! Na entrada já vemos que pelo corredor estão espalhadas mesas baixas, puffes, caixas de fantasias, livros infantis e muitos jogos. Meu filho reclamou apenas que ali tem muito mais brinquedos voltados para os pequeninos e principalmente para meninas, mas a distração ainda assim é garantida.

m_img_7574

No salão maior existem mesas mais confortáveis para os adultos que preferem não se sentar em mesas tão baixas. Ao redor há plantas e uma parede com uma linda hortinha, uma ótima oportunidade para mostrar para as crianças que não tem convivência com uma horta caseira, quais são os ingredientes utilizados em sua comida.

Os pratos são um mimo! Os detalhes envolvidos na elaboração de cada um deles fazem toda a diferença! E quanto ao sabor, nota 10!

m_img_7588

m_img_7589

As sobremesas são um sonho à parte! Ficamos numa dúvida cruel quanto a qual pedir, mas no final o que contou foi a diversão!

m_img_7590

m_img_7593

Não há estacionamento no local, mas existe um rotativo um pouco antes, na mesma quadra. Quanto ao preço, de fato não é barato, mas é uma experiência bacana e uma proposta divertida para toda a família!

Espero que tenha ajudado a quem pretende conhecer um pouquinho de Curitiba acompanhado de crianças…

E você, tem alguma dica pra gente?? Deixe seu comentário!!

Beijinhos e até a próxima!

Michelle